Para Guedes, crescimento do PIB afasta risco de recessão

O PIB (Produto Interno Bruto), a soma de todas as riquezas produzidas no país, cresceu 1% no primeiro trimestre de 2022, na comparação com os últimos três meses do ano passado. Os números divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), na avaliação do ministro da Economia, Paulo Guedes, demonstram que o “crescimento do PIB descredencia todas as estimativas de recessão”. Paulo Guedes se refere às projeções do mercado financeiro que previam recessão ou baixíssimo crescimento para o país em 2022.

Em conversa exclusiva com o Blog na manhã desta quinta-feira (2), o ministro lembrou também o que já vinha dizendo: “Erraram (economistas do mercado financeiro) outra vez”.

Paulo Guedes continua otimista com a recuperação da economia do país e fez questão de ressaltar outros dados recentes, como a queda no desemprego de 11,2% para 10,5%, a menor taxa desde 2015. Em abril do ano passado, o desemprego estava em 14,8%. Mesmo assim, cerca de 10,5 milhões de pessoas seguem sem ocupação. E a redução da inflação, que ficou em 0,42% em maio, abaixo do piso estimado por sete instituições do mercado financeiro, que previam IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de 0,48% a 0,60%.

Para o ministro, nos “próximos meses podemos ter inflação e desemprego de um dígito”. E a contribuição pode vir das reduções de impostos. “Com a redução do ICMS (teto de 17% estabelecido pelo Congresso) e do IPI (redução de 35% feita pelo governo) a inflação também pode desabar”, na avaliação de Paulo Guedes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.