Bolsonaro diz que Guedes está estudando incluir mototaxistas na isenção do IPI

O presidente da República Jair Bolsonaro (PL) afirmou, nesta quinta-feira (7), que a equipe do ministro Paulo Guedes (Economia) está estudando, atendendo a pedido seu, incluir os mototaxistas na isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

“Conversando rapidamente com o Paulo Guedes, tem a isenção de IPI para os taxistas, pessoas com deficiências, surdas. Perguntei para o Paulo Guedes: ‘Por que não tem para o mototaxista também?’. Então ele ficou aí de estudar e viabilizar, caso seja possível, o mais rápido possível”, declarou Bolsonaro, em evento no Banco do Brasil.

O presidente fez referência à lei, sancionada em janeiro deste ano, que prorroga até 2026 a isenção do IPI para taxistas e pessoas com deficiência na compra de carros novos. Essa isenção existe desde 1995 e se encerraria em dezembro deste ano.

Trata-se da Lei 14.287, de 2021, que também determina o aumento do teto no preço do veículo para que a isenção do IPI seja válida. Antes esse teto era de R$ 140 mil, mas com a lei, esse limite passou para R$ 200 mil e também vale na compra de veículos novos por cooperativas de taxistas.

BB lança linha de crédito para caminhoneiros autônomos

A cerimônia onde Bolsonaro discursou ocorreu no Banco do Brasil, em Brasíliana tarde desta quinta-feira. O banco é subordinado ao governo federal. Também compareceram à solenidade, além do presidente e de Paulo Guedes, os ministros Marcelo Sampaio (Infraestrutura), Marcos Montes (Agricultura e Pecuária), Joaquim Leite (Meio Ambiente) e Fausto Ribeiro presidente do BB.

No evento, foi anunciada uma linha de financiamento para os caminhoneiros autônomos que são correntistas do Banco do Brasil, cujas empresas transportadoras são conveniadas com o banco, de forma digital.

A categoria é assimilada como base apoio do governo Bolsonaro, que tentará a reeleição em outubro. Além do BB, a Caixa Econômica Federal também lançou, em fevereiro deste ano, uma linha de crédito semelhante voltada para os caminhoneiros autônomos, porém com juros mais elevados, em 1,99% ao mês.

Com essa linha de crédito, os profissionais que atendem a essas especificidades e possuem acesso aos meios digitais poderão antecipar o valor dos fretes das seguintes formas: pagamento antecipado em até 120 dias; taxas de juros a partir de 1,79% ao mês, de acordo com o perfil do caminhoneiro; convênio com uma transportadora ou embarcadora cliente do banco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.