Butantan diz que foi surpreendido com pedido da Anvisa sobre Coronavac

O Instituto Butantan, de São Paulo, afirmou ter sido “surpreendido” com o pedido da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que o órgão forneça mais informações sobre o uso da vacina Coronavac em crianças e adolescentes. A agência comunicou ao órgão que precisa de mais dados para aprovação da utilização do imunizante em menores de 5 a 11 anos.
Em nota divulgada nesta quarta-feira (22/12), o Butantan afirmou que enviou à agência “dois dossiês com cinco novos estudos”, além de um terceiro com “análise dos dados de imunogenicidade das amostras coletadas dos participantes da fase 3, conforme acordado com a Anvisa”.
Na terça-feira (21/12), a Anvisa declarou que “praticamente não houve mudança” em relação aos dados que o Butantan já havia apresentado no primeiro pedido, em julho deste ano, época em que a solicitação não foi aceita.
De acordo com o Butantan, “dados de farmacovigilância e de segurança vindos da Sinovac, biofarmecêutica chinesa produtora da CoronaVac, e do governo chileno” também foram remetidos à Anvisa.
O instituto ponderou que a Anvisa “não fez questionamentos durante a reunião” entre especialistas do instituto, do órgão sanitário e de sociedades médicas pediátricas do país.
“É preciso que haja mais clareza por parte da Anvisa para que assuntos como a aprovação da vacina no contexto pandêmico que vivemos sejam tratados com a rapidez necessária”, escreveu o Butantan, em nota.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.