Mato Grosso se torna referência nacional no combate às desigualdades sociais

Estado com a maior projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2021 no país, Mato Grosso é também uma referência nacional em políticas de combate às desigualdades sociais. Principalmente pela implantação de programas permanentes e auxílios emergenciais que visam à redução das disparidades e dos impactos da pandemia do novo coronavírus sofridos mais intensamente pela população de baixa renda.

Programas como SER Família, SER Família Emergencial, Vem Ser Mais Solidário e Aconchego ajudam a explicar por que Mato Grosso, com Índice de Gini em 0,469, está entre os três Estados menos desiguais do país, na companhia de Santa Catarina (0,421) e Rondônia (0,455) – o índice varia de zero a um, onde zero é a ausência de desigualdade, e um, o máximo de desigualdade possível.

“Mato Grosso é um estado rico, e precisamos diminuir o número de pessoas que vivem na linha da pobreza. Juntos, tenho certeza de que ampliaremos o trabalho social para diminuir essas dificuldades e auxiliar cada vez mais famílias”, afirma a primeira-dama de Mato Grosso, Virginia Mendes, principal responsável pelo desenvolvimento das políticas públicas sociais que são executadas pela Secretaria de Estado da Assistência Social e Cidadania (SETASC).

Um dos programas de transferência de renda idealizados pela primeira-dama foi lançado em dezembro do ano passado e implantado nesta sexta-feira (28 de maio). Trata-se do SER Família, cujos pilares compõem as iniciais de Superação, Esperança e Respeito.

Subdividido em cinco grupos “SER”, o programa fornece cartões com valores mensais a famílias, crianças, idosos, mulheres e pessoas com deficiência. Um sexto grupo também será contemplado, no caso o das comunidades indígenas, com o SER Cidadão Indígena.

“Até o fim do ano pretendemos alcançar todos os 141 municípios do estado com o SER Família”, informa Rosamaria Carvalho, secretária estadual de Assistência Social e Cidadania, a pasta responsável pela gestão das políticas sociais.

Já o SER Família Emergencial é um desdobramento e foi criado para minimizar os impactos da pandemia na população socialmente mais vulnerável. O governo investiu R$ 75 milhões para beneficiar 100 mil famílias em todo o estado. Cada uma vai receber R$ 150, mensalmente, por cinco meses. A primeira parcela saiu em 8 de maio.

“Tenho acompanhando de perto as ações sociais do governo de Mato Grosso, lideradas pela primeira-dama, Virginia Mendes, e posso garantir que em Primavera do Leste as famílias estão satisfeitas e muito felizes com os amparos, principalmente nesse momento atípico de pandemia. A cada benefício que é entregue, nós vemos no rosto das pessoas a alegria de levar para casa o alimento para os seus filhos”, afirma Ester Minosso, primeira-dama de Primavera do Leste, um dos 141 municípios beneficiados pelos programas estaduais.

“QUEM TEM FOME, TEM PRESSA”

Criado no primeiro semestre de 2020, ainda no início da pandemia, o Vem Ser Mais Solidário consiste na distribuição de cestas básicas e foi implantado para garantir a segurança alimentar da população de baixa renda em todos os 141 municípios de Mato Grosso, além de comunidades indígenas, nesse longo período de crise sanitária e econômica. Foram 340 mil cestas entregues em 2020. Neste ano, já teve início a distribuição de mais 534 mil.

“Essas cestas não contêm apenas alimentos, mas itens de higiene e produtos de limpeza. É uma forma de amenizar o sofrimento das famílias mais carentes do estado, pois quem tem fome, tem pressa. Não podemos ser um estado que mais produz alimento e ter pessoas passando fome”, enfatiza Virginia Mendes, referindo-se à vocação agro que proporciona ao Estado a expectativa de crescer o PIB em 4,97% neste ano, acima de todas as demais unidades da federação, conforme levantamento da MB Associados.

INVERNO À VISTA

Outro programa implantado pelo governo, o Aconchego assegura a distribuição de cobertores a moradores de rua, comunidades indígenas, entidades filantrópicas e famílias em situação de extrema vulnerabilidade. Foram 300 mil cobertores entregues desde 2019. Até o fim deste ano esse número chegará a 500 mil.

“Por ser um Estado de muito calor, as pessoas em Mato Grosso não estão preparadas nem para um dia de frio. Ainda que nosso inverno tenha uma duração curta, ele vem muito intenso, e as pessoas mais vulneráveis não têm como sobreviver a esse frio”, explica a secretária Rosamaria Carvalho.

“Primavera do Leste é uma das cidades que será beneficiada por esse programa mais uma vez. As famílias cadastradas nas outras edições aprovaram muito a iniciativa e estão na expectativa do recebimento dos novos kits com os cobertores”, diz a primeira-dama do município, Ester Minosso, lembrando que as primeiras temporadas de baixas temperaturas se avizinham no estado.

QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Em meio às histórias e aos testemunhos emocionantes de muitas das milhares de famílias beneficiadas pelos programas que colocam Mato Grosso como um dos estados menos desiguais do Brasil, Virginia Mendes explica que as políticas públicas sociais se tornaram mais uma marca do governo de Mato Grosso.

“Ao assumir a função de primeira-dama, minha missão foi cuidar do social, olhar para as necessidades de todos e desenvolver políticas públicas. O intuito dos programas é dar alento às famílias mais necessitadas, e acredito que estamos cumprindo esse objetivo. Além das obras, o governo está cuidando de gente e tem conseguido priorizar o olhar social e atender àqueles que mais necessitam, principalmente neste momento de pandemia.”

De acordo com ela, outras ações ainda estão por vir na assistência social, entre elas cursos de qualificação para auxiliar as pessoas que buscam colocação ou recolocação no mercado de trabalho para garantir a geração de renda das famílias.

“Estamos preparando esses cursos para que iniciem após a pandemia”, informa Virginia Mendes.

MATO GROSSO SOLIDÁRIO

Conheça os principais programas e ações sociais que fazem do Estado uma referência nacional

  • SER Família Emergencial – Auxílio criado para famílias de baixa renda que enfrentam dificuldades por conta da pandemia de Covid-19. A ação beneficia mensalmente mais de 100 mil famílias, com R$ 150, por cinco meses, em todos os 141 municípios do Estado
  • SER Família – Lançado em 2020 e implantado a partir de maio de 2021, é um programa permanente de distribuição de renda que visa à redução das desigualdades sociais em benefício de cinco grupos:

– SER Família – Valor mensal de R$ 100 para pessoas que vivem em situação de extrema pobreza, cuja renda per capita não ultrapasse o limite de 1/3 do salário mínimo vigente

– SER Criança – Para famílias com crianças em idade escolar (até 12 anos), com valor de R$ 120 por mês para ser usado unicamente para a compra de vestuário, gêneros de primeira necessidade e materiais escolares. O cartão é único por família, independentemente do número de crianças

– SER Idoso – O valor, também de R$ 120 por mês, será destinado às pessoas com mais de 60 anos em condição de vulnerabilidade social para a compra específica de medicamentos

– SER Inclusivo – O benefício é para pessoas com deficiência para a compra de alimentos e medicamentos, com valor de R$ 120 por mês

– SER Mulher- Voltado ao atendimento de mulheres vítimas de violência doméstica, em situação de medida protetiva, para custeio de moradia. O valor pago mensalmente será de até um salário mínimo

  • Vem Ser Mais Solidário – Criado no início da pandemia como socorro alimentar às famílias de baixa renda. Consiste na distribuição de cestas básicas em todos os 141 municípios do Estado. De 2020 até o fim de 2021, o número total vai alcançar um milhão de cestas básicas distribuídas, aproximadamente
  • Aconchego – Distribuição de cobertores às pessoas mais vulneráveis, incluindo moradores de rua, comunidades indígenas, entidades filantrópicas e famílias que se enquadram em situação de extrema vulnerabilidade. Foram 300 mil pessoas beneficiadas até o momento. Até o fim de 2021, serão 500 mil cobertores distribuídos.

O estado de Mato Grosso está entre os seis que mais realizam testagem em massa de detecção da Covid-19 no Brasil, aponta a plataforma de monitoramento da Universidade Federal de Viçosa (UFV-MG). São 32 mil testes para cada 100 mil habitantes.

Apenas o Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) efetivou 333.953 análises e mantém a capacidade de realizar 4.000 por dia. Além disso, a gestão estadual já encaminhou mais de 800 mil testes rápidos aos municípios.

“O diagnóstico em tempo oportuno é uma das melhores formas de conter a alta transmissão do vírus e o agravamento da doença. Desta forma, a pessoa faz o acompanhamento médico e já inicia o isolamento social, de forma a evitar que mais pessoas sejam contaminadas”

Gilberto Figueiredo, secretário estadual de Saúde

O governo de Mato Grosso optou por não construir hospitais de campanha e, sim, abrir leitos definitivos, como forma de garantir que a estrutura ampliada se mantenha em funcionamento após a pandemia. O estado já disponibilizou 608 novos leitos de UTIs exclusivos para Covid-19, sendo mais de 200 nos hospitais estaduais e os demais em parceria com os municípios.

A gestão estadual também edita semanalmente uma classificação de risco para os municípios de Mato Grosso, em que orienta quais as medidas que devem ser tomadas pelos gestores municipais para a contenção da transmissibilidade do vírus.

ARENA PANTANAL

Em Cuiabá, o Centro de Triagem Covid-19 montado na Arena Pantanal atende aos cidadãos da Baixada Cuiabana e todo o estado de Mato Grosso, auxiliando a Atenção Básica dos municípios da região no enfrentamento à pandemia, com a detecção e tratamento da doença.

Mais de 170 mil pessoas foram atendidas na unidade entre 22 de julho de 2020 e 20 de maio de 2021. No mesmo período, foram realizadas 11.727 tomografias, exame de avaliação dos pulmões que auxilia no diagnóstico e tratamento da doença.

Por meio da Secretaria de Estado de Saúde, o governo de Mato Grosso apresentou um novo projeto para o Hospital Central, em Cuiabá. Com recursos oriundos das ações de combate à corrupção realizadas pelo Ministério Público do Estado, serão investidos cerca de R$ 100 milhões na obra que ampliará a estrutura do hospital de 9 mil para 32 mil metros quadrados de área total.

Outros dois hospitais de Cuiabá passam por reformas, ampliação e melhorias, com investimentos do governo estadual. As obras no Hospital Adauto Botelho, orçadas em R$ 14,1 milhões, tiveram início em julho de 2020 e serão concluídas até o fim deste ano.

No dia 2 de maio de 2019, o governo de Mato Grosso assumiu o controle do hospital Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, mais antiga unidade de saúde da capital, que fechara as portas em 11 março em função de uma crise financeira, deixando de prestar atendimentos de saúde à população mato-grossense.

Diante da situação, o governo estadual decretou a requisição administrativa dos bens e serviços e assumiu a gestão, com o objetivo de assegurar os atendimentos de média e alta complexidade aos cidadãos que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS).

As obras de melhorias, com custo de R$ 2 milhões, transformaram os antigos setores em uma moderna unidade de saúde, agora chamada Hospital Estadual Santa Casa. Durante a pandemia de Covid-19, a nova Santa Casa se tornou referência em atendimento aos pacientes com a doença e, atualmente, mantém 60 leitos de UTI e 69 leitos de enfermaria exclusivos para a demanda relacionada ao novo coronavírus.

INTERIOR

Quatro novos hospitais regionais serão construídos em Mato Grosso, todos projetados pela equipe da Secretaria Estadual de Saúde. Os hospitais contarão com 141 leitos de enfermaria e 40 UTIs, entre as destinadas a adultos, pediátricas, neonatal e unidade semi-intensiva neonatal, para atendimento de média e alta complexidade.

Também serão disponibilizados dez consultórios médicos, dois consultórios para atendimento a gestantes, seis salas de centro cirúrgico, além de espaços para banco de sangue, banco de leite materno e realização de exames, como tomografia e colonoscopia.

Os hospitais serão construídos nas regiões Norte (Alta Floresta), Oeste (Tangará da Serra), Noroeste (Juína) e do Araguaia (em local ainda a ser definido – já foram inspecionadas áreas em Confresa e Porto Alegre do Norte).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *