Empenho do governo em relação à reforma administrativa opõe Pacheco e Lira Presidente do Senado reafirmou que os chefes das duas Casas estão empenhados em fazer a pauta avançar, mas levantou dúvidas sobre o apoio do Planalto

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, questionou o compromisso do governo em aprovar a reforma administrativa. Em uma live promovida pela Confederação Nacional da Indústria, com a participação também do presidente da Câmara, Arthur Lira, o senador disse que vê no Congresso um ambiente favorável à aprovação. Pacheco reafirmou que os chefes das duas Casas estão empenhados em fazer a pauta avançar, mas levantou dúvidas sobre o apoio do Planalto. “Considerando todas essas premissas, inclusive da conclusão que o Estado brasileiro precisa ser desinchado, há o compromisso do poder Executivo com a reforma administrativa? Esse é um questionamento que nós temos que fazer. Nós vamos ter clareza nessa discussão junto à Casa Civil, Secretaria de Governo, o próprio presidente da República. Se há vontade do governo de fazer uma reforma administrativa em um ano pré-eleitoral ou não. Precisamos ter uma clareza para que não tenhamos uma concentração que será esvaziada em razão de uma iniciativa do governo para não votar uma reforma administrativa.”

Enviada pelo próprio governo federal ao Congresso, a reforma administrativa já foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e vai passar por uma comissão especial antes de chegar ao plenário. O presidente da Casa, Arthur Lira, rebateu Rodrigo Pacheco. Ele criticou o que chama de “criação de versões” a respeito das matérias que são votadas pelos deputados. E reforçou a confiança no Planalto. “Eu acredito na aprovação da reforma administrativa, eu acredito no apoio do governo a reforma administrativa, foi oriunda dele. Essa versão de que o governo federal, o poder Executivo, vinculado por alguns meios, que não apoiará a reforma administrativa, é um contrassenso que, na cabeça do presidente da Câmara e dos líderes partidários que, que quero reforçar, tem sido extremamente receptivos.”

Ambos parlamentares se mostraram confiantes quanto à aprovação da reforma tributária. Rodrigo Pacheco considera que houve grande avanço ao se concluir a comissão mista que tratava do tema. Agora, a matéria vai ser fatiada entre Câmara e Senado. Já Arthur Lira criticou aqueles que pedem uma mudança mais ampla no sistema tributário do país. Segundo ele, o importante é aprovar o texto que estiver ao alcance. “Nós temos que fazer a melhor reforma possível. Não a maior reforma tributária. A reforma possível não pode ser a maior, mas será melhor do que o sistema atual.” Arthur Lira também considera que o país não pode perder a oportunidade de aprovar as reformas em 2021. Ele espera que a proximidade das eleições do ano que vem não afetem a tramitação dos projetos. O presidente da Câmara segue com a opinião de que a reforma administrativa deve ser aprovada antes que a tributária.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *