OPINIÃO | Tributação abusiva

Os brasileiros sofrem com uma das cargas de impostos sobre mercadorias e serviços mais altas do mundo. No total, 19% da renda nacional vai para tributos embutidos nos preços dos alimentos, das roupas, dos brinquedos ou dos celulares. Os brasileiros trabalham cerca de cinco meses por ano para pagar tributos.

Enquanto a reforma tributária não avança no Congresso Nacional, iniciativas como a da CDL Jovem, ligada à Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL/SC) buscam conscientizar a população sobre a alta carga de impostos e apoiar a simplificação tributária no Brasil.

A 12ª edição do Dia Livre de Impostos será promovida amanhã. Consumidores catarinenses terão a oportunidade de economizar no consumo de diferentes produtos, como gasolina e pizza.

Em média, pagamos impostos em quase um terço do valor de diversos produtos. Exemplos: academia (27%), bebidas alcóolicas e cigarros (43%), bebidas sem álcool (26%), bolsas e malas (40%), brinquedos (34%), celulares (40%), eletrodomésticos (34%), higiene pessoal (46%), remédios (31%), restaurantes (32%) e vestuário (31%).

O Dia Livre de Impostos foi criado para manifestar a insatisfação do brasileiro com a tributação abusiva que limita o poder de consumo, além de servir de freio para o crescimento econômico do país.

Em um ranking de 30 países, o Brasil é o 14º que mais arrecada impostos e está em último em retorno do dinheiro para a população. Os dados são do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT).

Fazer andar a reforma tributária é a esperança dos brasileiros. Espera-se que a mudança traga simplificações, e não novas onerações. A reforma tributária é essencial para a retomada do crescimento do país, pois a legislação atual prejudica o crescimento econômico pela falta de segurança jurídica e complexidade.

Em pesquisa da CNDL e do SPC Brasil, no início do ano, 56% dos consumidores revelaram que o sistema tributário atual não é adequado para fazer negócios no Brasil. Que os parlamentares aprovem então um sistema mais simples, transparente e justo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *