CE | Arrecadação estadual cresceu 10,76% em janeiro

O Governo do Ceará arrecadou pouco mais de R$ 2,4 bilhões em impostos em janeiro.

O crescimento no comparativo com janeiro de 2020 se deve, principalmente, pelo aumento nas transferências constitucionais (19,81%). Já a arrecadação própria teve alta de 7,06%.

O Governo do Ceará fechou o mês de janeiro com arrecadação de R$ 2,4 bilhões. Alta de 10,76%, em relação ao mesmo mês do ano anterior. Deste montante, 69% veio da arrecadação própria, que cresceu 7,06%, usando a mesma base de comparação. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 22, pela Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz).

De acordo com o balanço, foram as transferências constitucionais, no entanto, que mais subiram no período. Os recursos que vêm, por exemplo, do Fundo de Participação dos Estado (FPE), tiveram alta nominal de 20,58%, ante janeiro de 2020, e fecharam o mês em R$ 754,1 milhões. Ao todo, as transferências constitucionais tiveram acréscimo nominal de 19,81% e de 14,59% em valores reais.

Já o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), principal imposto estadual que representou no mês 80,58% do total apurado, somou R$1,348 bilhão. São R$ 95,5 milhões a mais do que o arrecadado em janeiro de 2020. Uma variação positiva nominal de 7,06% e, em valores reais, atualizados pelo IPCA, houve um acréscimo de 2,39%.

Em janeiro, dos sete maiores segmentos econômicos contabilizados pelo Estado, cinco apresentaram variação positiva em relação a janeiro de 2020.

O setor atacadista foi o que registrou maior crescimento (25,35%), fechando o mês de janeiro com R$ 291,9 milhões em impostos. Em seguida aparecem: indústria com alta de 18,67% (R$ 307,7 milhões); varejo com 17,27% (R$204,5 milhões); transportes com alta de 6,88% (R$ 21,2 milhões); e comunicação 2,5% (R$59,6 milhões).

Por outro lado, houve queda na arrecadação de ICMS no setor de combustíveis e no de energia elétrica. No primeiro, o montante de R$ 262,8 milhões é 14,64% menor do que o apurado em janeiro de 2020. Já os impostos advindo do setor elétrico caíram 1,65% e terminaram o mês em R$ 171,9 milhões.

Fonte: O Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *