Unidades da Sefaz Ceará fecham em adesão à Greve Geral

Em solidariedade aos trabalhadores de todo o país, os fazendários do Ceará.

Em solidariedade aos trabalhadores de todo o país, os fazendários do Ceará paralisaram suas atividades nesta sexta-feira, dia 30 de junho, contra a reforma trabalhista, em defesa dos direitos e da aposentadoria. A paralisação, convocada pelas centrais sindicais, foi deliberada na última Assembleia Geral da categoria.

O atendimento foi suspenso em diversas unidades, inclusive Células de Execução Tributária (Cexats) e postos fiscais, da capital e interior do Estado. Após o ato realizado pelo Sintaf na Praça dos Fazendários, os servidores seguiram até a Praça do Ferreira, reunindo-se com os demais manifestantes que protestavam contra as reformas do Governo Temer.

Para a diretora Ana Maria, os fazendários não podem ficar de fora das manifestações. “Os direitos trabalhistas que temos hoje são fruto da luta e sacrifício de trabalhadores que nos antecederam. Nós não tínhamos direito, por exemplo, a 13º salário, férias e descanso semanal. E agora esse governo ilegítimo quer nos arrancar esses direitos. Não podemos aceitar”, contestou. “E a reforma da previdência? Vamos morrer trabalhando? Não podemos achar que estamos protegidos por sermos servidores públicos. Isso é uma ilusão”, completou. 

Para o conselheiro fiscal Jucélio Praciano, é momento de se organizar, resistir. “Todos nós seremos atingidos. O governo quer dividir as categorias, enfraquecer os servidores. Nós temos que estar coesos, conscientes de nossa responsabilidade e solidários com os demais trabalhadores de todo o País”, afirmou.

Já o presidente da Associação dos Fazendários Aposentados (AAFEC), Gentil Rolim, conclamou todos os fazendários a se unirem. “Se a gente lutar, trabalhar e se unir, é mais fácil conseguir. Jamais cruzaremos os braços diante da luta”, garantiu.

“O ato de hoje é contra as reformas em curso, que são uma verdadeira reforma estrutural do Estado. Sem luta de rua o governo não recua. Vamos dar o nosso recado: somos contra as reformas que atacam os direitos dos trabalhadores”, disse Lúcio Maia, diretor de Organização do Sintaf.

O Sintaf Ceará aderiu à greve em consonância com os fiscos estaduais de todo o País, com o apoio da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco).

Fonte: Sinrtaf - CE

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
Fazenda nega redução de Imposto de Renda

secretário-executivo do ministério da Fazenda, Eduardo Refi

Disputas pelo comando de comissões seguem

Enquanto os deputados distritais não chegam ao consenso sobre

Em tempos de redes sociais, distritais gastam

Você já recebeu uma correspondência em casa enviada por algu

Comentários