Unidades da Sefaz Ceará fecham em adesão à Greve Geral

Em solidariedade aos trabalhadores de todo o país, os fazendários do Ceará.

Em solidariedade aos trabalhadores de todo o país, os fazendários do Ceará paralisaram suas atividades nesta sexta-feira, dia 30 de junho, contra a reforma trabalhista, em defesa dos direitos e da aposentadoria. A paralisação, convocada pelas centrais sindicais, foi deliberada na última Assembleia Geral da categoria.

O atendimento foi suspenso em diversas unidades, inclusive Células de Execução Tributária (Cexats) e postos fiscais, da capital e interior do Estado. Após o ato realizado pelo Sintaf na Praça dos Fazendários, os servidores seguiram até a Praça do Ferreira, reunindo-se com os demais manifestantes que protestavam contra as reformas do Governo Temer.

Para a diretora Ana Maria, os fazendários não podem ficar de fora das manifestações. “Os direitos trabalhistas que temos hoje são fruto da luta e sacrifício de trabalhadores que nos antecederam. Nós não tínhamos direito, por exemplo, a 13º salário, férias e descanso semanal. E agora esse governo ilegítimo quer nos arrancar esses direitos. Não podemos aceitar”, contestou. “E a reforma da previdência? Vamos morrer trabalhando? Não podemos achar que estamos protegidos por sermos servidores públicos. Isso é uma ilusão”, completou. 

Para o conselheiro fiscal Jucélio Praciano, é momento de se organizar, resistir. “Todos nós seremos atingidos. O governo quer dividir as categorias, enfraquecer os servidores. Nós temos que estar coesos, conscientes de nossa responsabilidade e solidários com os demais trabalhadores de todo o País”, afirmou.

Já o presidente da Associação dos Fazendários Aposentados (AAFEC), Gentil Rolim, conclamou todos os fazendários a se unirem. “Se a gente lutar, trabalhar e se unir, é mais fácil conseguir. Jamais cruzaremos os braços diante da luta”, garantiu.

“O ato de hoje é contra as reformas em curso, que são uma verdadeira reforma estrutural do Estado. Sem luta de rua o governo não recua. Vamos dar o nosso recado: somos contra as reformas que atacam os direitos dos trabalhadores”, disse Lúcio Maia, diretor de Organização do Sintaf.

O Sintaf Ceará aderiu à greve em consonância com os fiscos estaduais de todo o País, com o apoio da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco).

Fonte: Sinrtaf - CE

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  • Últimas Notícias
PGR pede ao Supremo para investigar Dilma

Em um procedimento que tramita de forma sigilosa, o procurador-

Perto do fim do prazo, só 7 milhões fizeram

Faltam só 25 dias para a entrega da declaração do Imposto de

Comentários